SINDFAZENDA participa de Lançamento da Frente Parlamentar da Previdência

SINDFAZENDA participa de Lançamento da Frente Parlamentar da Previdência

COMPARTILHAR

por Grace Maciel
O Sindicato Nacional dos Servidores Administrativos do Ministério da Fazenda – SINDFAZENDA, participou, nesta quarta-Feira (20) do Lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social para a 56• Legislatura.
“Precisamos unir forças para derrotar essa nefasta reforma proposta pelo governo. A meu ver isso nem se pode ser chamado de reforma e sim,  de desmonte da seguridade social, assim como fizeram com a CLT, com a aprovação da reforma trabalhista”. Destacou o presidente do SINDFAZENDA. Luis Roberto da Silva. 
Na ocasião, Luis esteve acompanhado da diretora administrativa, Jecirema Carvalho, da diretora de Assuntos Parlamentares, Neire Luiz, e dos representantes regionais: Diogo Souza (SE), Wylinete Cavalcante (CE), Nicilene (DF) e Ione Coelho (MS).

O coordenador da frente, senador Paulo Paim (PT-RS) ressaltou que o povo brasileiro não quer esta reforma, pois, segundo o parlamentar, como está sendo proposto para a capitalização é o fim da Previdência. “ Ataca, inclusive, a seguridade, queremos fortalecer a Constituição que defende um pacto social. Essa reforma não interessa a ninguém, a não ser ao mercado financeiro”, afirmou.

O também coordenador, André Figueiredo (PDT-CE), criticou o desmonte da proposta “Nós precisamos levar a todos os brasileiros que isso é o fim da aposentadoria do Brasil, que é desrespeito aqueles que sempre contribuíram e não vão ter direito a uma regra de transição minimamente justa”.

Paralelo ao lançamento, o governo entregou nova proposta de reforma altera nas regras para as Forças Armadas, policiais, militares e bombeiros. No caso dessas categorias, não haveria idade mínima e sim um aumento de 30 para 35 anos do tempo exigido para que esses profissionais pudessem se aposentar.

A proposta de reforma da Previdência entregue no mês passado pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional objetiva fixar idade mínima para aposentadoria. Para as mulheres, 62 anos e 65 para homens. As regras valem tanto para trabalhadores da iniciativa privada quanto para servidores públicos.

O presidente da CSPB , João Domingos Gomes dos Santos, na ocasião representou a Nova Central Sindical-NCST, entidade que tem o Sindfazenda como filiado. Na oportunidade, o líder sindical convocou toda sociedade a participar das mobilizações de 22 de março, em defesa de uma Previdência pública, justa e solidária.

À tarde do evento foi marcado por um seminário com palestrantes renomados para um intercâmbio de experiências entre Brasil, Chile e Argentina. 

O lançamento contou com a presença de diversas centrais sindicais, confederações, federações, sindicatos e representantes da sociedade civil organizada, de deputados e senadores. As centrais e os movimentos sociais convidaram para o Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, que tomará as ruas de várias cidades na  próxima sexta-feira (22).

Imprensa/ Sindfazenda

COMPARTILHAR