Nota:Nova Central repudia aprovação da Reforma Trabalhista na Câmara

Nota:Nova Central repudia aprovação da Reforma Trabalhista na Câmara

COMPARTILHAR

Brasília, 27 de abril de 2017 – A Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) vem a público repudiar veementemente a aprovação, na noite desta quarta-feira (26), do texto da Reforma Trabalhista na Câmara dos Deputados. Os 296 deputados que votaram a favor da proposta, mais uma vez, negaram apoio aos trabalhadores e à sociedade que dizem representar e aproveitaram ainda a oportunidade para desmontar a estrutura sindical brasileira. A Nova Central esclarece ainda que fez nova tentativa de tentar impedir a urgência da votação e entregou um documento — juntamente com a Associação dos Magistrados do Trabalho (Anamatra), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e outras entidades sindicais de trabalhadores – pedindo um prazo maior ao presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia, para que o texto apresentado fosse discutido com a população e com mais participação da sociedade, mas as solicitações foram totalmente ignoradas.

A afirmação, por parlamentares favoráveis a reforma, de geração de empregos por meio desta aprovação, é falaciosa e visa confundir a população. Os altos índices de desemprego no Brasil passam pela má condução da economia brasileira, o abandono do tripé econômico e casos de corrupção que desmantelaram estatais, fatores que causaram um colapso em setores importantes para a geração de postos de trabalho e nos levaram para a maior recessão da história. Mas, como ocorre em toda crise, a população é obrigada a pagar a conta da ineficiência de governantes. A Reforma Trabalhista suprime direitos trabalhistas consolidados e essenciais para manter a qualidade de vida e a saúde do trabalhador, precarizando a relação de trabalho e sucateando a CLT.

A Nova Central convoca toda a população brasileira, trabalhadoras e trabalhadores do País, para que amanhã, na Greve Geral do dia 28 de abril, mostrem ao Congresso Nacional toda a sua força e insatisfação contra as propostas de retirada de direitos colocadas pelo governo Michel Temer saindo às ruas e se mobilizando. Continuaremos atuantes e é imprescindível que cada um, em seus estados, faça contato com os senadores de suas bases para que consigamos derrubar a Reforma Trabalhista e Previdenciária dentro do Senado Federal.

Por Nenhum Direito a Menos!

José Calixto Ramos, presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST

COMPARTILHAR