SINDFAZENDA busca medidas de proteção para Pecfaz contra Coronavírus

SINDFAZENDA busca medidas de proteção para Pecfaz contra Coronavírus

COMPARTILHAR

O Sindicato Nacional dos Servidores Administrativos do Ministério da Fazenda- SINDFAZENDA, buscando sempre lutar em defesa dos direitos de seus filiados, informa que protocolizou junto ao Ministério da Economia – ME, Ofício nº 003/2020, solicitando medidas imediatas para proteção de seus filiados, e em consequência de todos os servidores PECFAZ, principalmente em relação aos servidores que atuam diretamente com atendimento ao público, tais como: CAC, ARF, Aduanas, Portos e Aeroportos, escolas, entre outros.

O sindicato informa que o ofício se refere à todas as unidades que, de alguma forma, prestam serviços à população. Todos os órgãos integrantes do ME devem buscar medidas de proteção para seus servidores.
“ Ao mesmo passo, caso não tenhamos resposta positiva no prazo de 48 horas iremos ajuizar ação coletiva relativa a essa questão, buscando junto a Justiça que sejam dadas todas as garantias aos nossos filiados”. Destacou o presidente do Sindfazenda, Luis Roberto da Silva.

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NAS FRONTEIRAS, PORTOS E AEROPORTOS (DIÁRIAS)

Como sabido, muitos Pecfaz são chamados a prestarem serviços junto às fronteiras do país. Para esses filiados é oportuno esclarecer que mesmo buscando essa proteção, o Sindfazenda orienta que deixem de realizar essas viagens se a instituição não oferecer os equipamentos de proteção individual – EPI. “ Lembramos que para participar desses eventos o servidor normalmente se inscreve, ou seja, é uma atribuição não obrigatória, principalmente para àqueles que não estão lotados nas unidades de fronteiras. Portanto pensem melhor sobre participar ou não, sem os devidos equipamentos de proteção individual, sua vida vale mais que os valores recebidos em diárias. Essa é uma decisão individual, mas que deve ser muito bem analisada. Por mais que o seu sindicato atue, algumas decisões são individuais e refletem individualmente”. Enfatizou Luis.

Edição: Imprensa/SINDFAZENDA

COMPARTILHAR